top of page
  • Foto do escritorCristiano Fernandes

Quando sua carreira de designer derrapar, você foca em voltar pra pista ou no muro?


Foto de Deva Darshan no Pexels

O instrutor de direção ensina que quando um carro derrapar na curva e começar a escorregar em direção a um poste, muro ou outro obstáculo qualquer, que nosso foco deve continuar na pista, a sua rota original. Mas na maioria das vezes a gente foca no que vai dar errado e se perde da rota que havíamos traçado.

A maioria tende a olhar pro obstáculo e não para a pista.

Exemplo: "Não quero mais este emprego de designer de agência, a gente só vira noite, não cuido da minha saúde etc." ou "Não aguento mais meu chefe, não aguento mais ser um designer empregado" ou ainda "Não quero mais trabalhar com design gráfico". Mas aí o que entendemos deste tipo de designer que pensa assim? Ele está dizendo o que não quer e que de certa maneira é louvável. Mas dizer o que não quer, o cérebro não entende!

Exemplo: Não pensa em um designer barbudo e de óculos; O que você fez? Pensou em um designer barbudo e de óculos, certo? Pois é: nosso cérebro só interpreta o sim.

O não é um estranho.

Então o designer que diz: "Não quero mais este emprego de designer de agência", na verdade está dizendo para o seu cérebro: "Quero mais este emprego de designer de agência". E cada vez mais ele foca no muro ao invés de na pista. A pista neste caso é seu próximo passo na carreira.

"Se você não sabe pra onde vai qualquer caminho serve"

Já dizia o Gato em Alice no País das Maravilhas.

O que fazer então?

Entender um pouco mais como funciona o nosso cérebro neste caso pode te ajudar a pensar, falar e agir da maneira correta. Aqui vão algumas dicas:

  • 1. Pensar de maneira positiva é o caminho.

  • 2. O universo vai te dar o que você quer, então pede direito.

  • 3. Você não é sua vitória ou sua derrota.

  • 4. Você é você. a estratégia que você vai usar para chegar lá é que no fim define se você chegou ou ficou pelo caminho.

Em uma mesa, há um copo com água na metade. Como você o descreveria?

Há um dado que mostra que somos: 30% moldados pelo nosso DNA (pai, mãe e sua linhagem); 20% somos moldados pelo ambiente em que fomos criados; Então 50% do que você não manda, já herdou. É seu copo pela metade.

Mas e o resto do copo? Você pode ver este como meio cheio ou meio vazio.

É sua responsabilidade enchê-lo, pois não depende nem do ambiente nem do seu DNA. Isso explica muitas vezes porque filhos de concursados não se tornam concursados, ou filhos de designers, não se tornam designers.

Mas aqui qual opção você quer escolher? Você tem 2:

1. Daqueles que se contentam com a vida que tem e veem o copo sempre meio vazio e só reclamam. São daqueles que focam no muro e não na pista.

ou 2. Aquele designer que vê o copo meio cheio, agradece o que tem e sabe como transbordar o copo enchendo ele de abundância financeira e de vida.


A dica de hoje é ter clareza da sua rota.

Pois se você não define ela, alguém vai definir por você. Se você não focar na pista, sem saber sua pista ideal, ao primeiro sinal de derrapagem, você vai focar no muro e não na pista. Se você é um designer que não sabe se está na direção certa, eu lhe digo que há, sim, uma saída. Se este texto serviu para você, faça esta corrente do bem não parar, dando um like, comentando ou indicando para alguém que precise ler sobre essa temática.

Vem comigo #depropósito #nadireçãocerta, afinal também #SouLED




Comentarios


bottom of page